Por que a energia eólica cresce no Brasil?

Energia 26 jan 2021

Quando pensamos em desenvolvimento econômico e social e, consequentemente, no futuro do Brasil, é impossível ignorar o peso e importância das chamadas fontes renováveis de energia. Nesse contexto, fontes de energia limpa ganham força e se demonstram como protagonistas de uma história que já começou a ser escrita.

Hoje, de acordo com dados da ABEEólica e da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) do ano de 2020, a matriz elétrica brasileira é constituída, principalmente, por hidrelétrica, (59,6%), termoelétrica, (27%), eólica (9,3%), biomassa (8,7%), gás natural (8,6%), petróleo (5,2%), Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs) (3,5%), carvão (2,1%), fotovoltaica (1,7%) e nuclear (1,2%).

É visto, portanto, um movimento de crescimento de fontes renováveis de energia, como a eólica, em comparação ao uso de fontes derivadas de combustíveis fósseis, como carvão e petróleo.

Neste artigo, vamos nos aprofundar mais nesse assunto e mostrar as razões pelas quais a energia eólica tem crescido tanto no Brasil, atingindo o ranking das fontes mais utilizadas. Se bateu a curiosidade, fica aí e continua a leitura!

 

O que é energia eólica? 

 

Talvez você esteja se perguntando neste momento o que, de fato, é energia eólica, né? Mas calma que vamos explicar tudo!

A eólica nada mais é do que a energia proveniente da força e ação recorrente dos ventos, que acontece por meio da transformação da energia cinética de translação em energia cinética de rotação.

Dessa forma, acontece a conversão da energia do vento em energia útil, além de ser considerada limpa, aquela que não gera poluentes.

Uma das maneiras de tangibilizar essa energia é através dos aerogeradores, que você provavelmente já deve ter visto em algum litoral por aí! Eles são equipamentos que podem medir até 220 metros de altura, com suas pás de até 80 metros girando e fazendo o movimento acontecer.

Cada vez mais equipamentos e parques eólicos – lugares geralmente remotos que concentram uma grande quantidade de aerogeradores – estão sendo vistos.

De acordo com a ABEEólica, a capacidade instalada desse tipo de energia no país chegou à marca de 16 GW no primeiro semestre de 2020, sendo 637 parques eólicos e 7.738 equipamentos no total.

Além disso, a indústria eólica investiu 13,6 bilhões de reais no Brasil, de acordo com a Bloomberg New Energy Finance (BNEF), e a infraestrutura gerou 55,9 TWh de energia, 15% a mais em relação ao ano de 2018.

 

Estados que mais produzem energia eólica

 

O Brasil faz parte dos 15 maiores países produtores desse tipo de energia. Somente a região nordeste, por exemplo, é responsável por 89% da produção de energia eólica do Brasil, de acordo com a ABEEólica.

Os estados nordestinos possuem ventos recorrentes e condições geográficas ideais. Eles fazem com oportunidades sejam mais atraentes nesse ramo e estejam em peso no topo do ranking.

Porém, o país como um todo possui potencial de desenvolvimento de energia eólica e já até trabalham com isso! Um exemplo é o estado do Rio Grande do Sul, que possui o maior parque eólico do país, o Conjunto Santa Vitória do Palmar, com capacidade para 582,79 MW de energia.

Confira a lista dos 5 maiores estados produtores do Brasil: 

  1. Rio Grande do Norte, com 4.066 MW
  2. Bahia, com 3.951 MW
  3. Ceará, com 2.045 MW
  4. Rio Grande do Sul, com 1.832 MW
  5. Piauí, com 1.638 MW

 

Vantagens em utilizar energia eólica

Como falamos anteriormente, a energia eólica é uma resposta limpa e conscientemente responsável. Mas você tem conhecimento total sobre tudo que essa fonte tem de vantagens e benefícios? Se ainda não, se liga nessas informações!

Primeiro, é uma fonte que, à medida que cresce e se desenvolve, consegue promover o desenvolvimento sustentável e diminuir, consequentemente, a dependência da sociedade em relação ao uso de combustíveis fósseis.

Também é uma fonte renovável e causa baixo impacto nos espaços da sua instalação e operação. Por exemplo, os parques eólicos não emitem CO2, e somente em 2019, conseguiram evitar as emissões de 22,85 milhões de toneladas de gás carbônico.

Outra vantagem interessante é que a energia eólica se aproveita de um recurso inesgotável no mundo e de muito fácil acesso: os ventos. Apesar de variações com relação à velocidade e força em alguns pontos, é mais fácil do que encontrar embaixo da terra, por exemplo.

Além disso, possui uma boa taxa de rentabilidade. Em mais ou menos 6 meses, as pessoas conseguem recuperar a energia gasta com a instalação e manutenção.

Esse mercado consegue gerar empregos nas regiões, desenvolvendo socioeconomicamente estados e regiões e, a longo prazo, o país.

 

Energia eólica em crescimento no Brasil 

 

Já conseguimos falar muito sobre isso até aqui, hein? Mas agora fica a questão principal: o que faz a energia eólica se projetar em constante crescimento no país? Separamos então alguns motivos importantes que são fundamentais. São eles:

 

Ventos de qualidade e constantes 

O primeiro ponto pode parecer óbvio, mas é um fator super relevante e que o Brasil possui muito! O crescimento do setor eólico no país é decorrente principalmente da estabilidade dos ventos, em especial na região nordeste. De acordo com especialistas, eles precisam ter a intensidade certa, não variar exponencialmente de velocidade ou mudar de direção com frequência.

O Brasil fica localizado em uma região excelente onde esse tipo de vento passa em abundância, o que garante o crescimento do mercado ainda mais nos próximos anos!

Trazendo alguns dados, a média mundial do fator de capacidade é de 25%, já a capacidade média brasileira no ano de 2018 alcançou os 42%, chegando a 80% durante a temporada de safra dos ventos. Existe muito potencial ainda!

 

Crescimento de parques eólicos 

Além disso, existe um crescimento significativo de empresas prestadoras desses serviços e de instalações de parques eólicos no país, demonstrando uma forte confiança do mercado e investidores nesse tipo de energia.

A título de comparação, há 10 anos, apenas 0,6 GW de energia estavam instalados em todo território nacional, enquanto no segundo semestre de 2019, já existiam mais de 15,1 GW distribuídas por mais 600 parques.

Com essa frequência de desenvolvimento e o mercado aquecido, o Brasil conseguiu atingir a 7ª colocação no Ranking Mundial do Global Wind Energy Council (GWEC).

A projeção dos especialistas do setor é de que o país terá em torno de 24,2 GW de capacidade instalada até 2024, considerando leilões já realizados e contratos firmados no mercado livre.

 

Mercado livre de energia em alta 

Outro projeto que está diretamente ligado ao crescimento da produção de energias limpas e renováveis é o desenvolvimento e aumento acelerado do mercado livre de energia em comparação ao mercado cativo.

Esse tipo de mercado propicia a liberdade de escolha dos consumidores, estimulando o desenvolvimento de energia limpa através de fontes renováveis, como as energias solar e eólica, por exemplo. Isso diminui consideravelmente o impacto ao meio ambiente.

Isso porque o consumidor tem a oportunidade de escolher, dentre tantas outras vantagens, a fonte pela qual sua energia vai ser entregue. Muito legal, né?


Conclusão

Por meio deste artigo, conseguimos aprender muito mais sobre a energia eólica e suas diretrizes, indo do conceito até análises sobre futuro. Se você se interessou por essa área e quer entender melhor, continue no nosso blog e nos acompanhe no LinkedIn.

Até a próxima!


Continue lendo

Saiba tudo sobre o
Mercado Livre de Energia
Assine nossa newsletter.