O que é uma comercializadora de energia?

Mercado livre 16 nov 2020

O que é uma comercializadora de energia

Comercializadora de energia será o nosso assunto deste artigo, porém antes vamos apresentar algumas considerações a respeito do mercado brasileiro de energia elétrica.

Aqui no Brasil, o setor elétrico opera por meio de um modelo diferenciado em relação ao restante do mundo. Em nosso país, existe um potencial energético muito grande a ser explorado, principalmente no que diz respeito às fontes renováveis, acontecendo constantes inovações tecnológicas e regulatórias.

A busca por um modelo sustentável está na pauta dos órgãos reguladores do mercado de energia. Eles têm se estruturado para garantir a segurança no suprimento, incentivar a expansão da geração, diversificar a matriz energética e atender a demanda dos consumidores ao menor custo.

Nesse contexto, existe a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que tem papel de fortalecer o ambiente de comercialização, estabelecendo regras e mecanismos que promovam relações comerciais sólidas e justas para todos os segmentos (geração, distribuição, comercialização e consumo).

Os agentes da CCEE estão divididos em três categorias: geração, distribuição e comercialização, conforme determina a Convenção de Comercialização de Energia Elétrica.

Neste artigo, você vai entender melhor o que é uma comercializadora de energia e também conhecer alguns dados recentes a respeito do mercado livre.

 

Números sobre o Mercado Livre de Energia

 

De acordo com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), no mês de setembro o Mercado Livre de Energia cresceu 22%. Isso significa que setembro terminou com 8.247 consumidores habilitados a negociar energia no Ambiente de Contratação Livre (ACL).

Esses dados foram destaque da notícia publicada pelo jornal Valor Econômico, que também deu ênfase ao crescimento não apenas no mês de setembro, mas ao longo de 2020.

O relatório da CCEE também destacou que em média são 150 novas migrações por mês em 2020, o maior volume desde 2016. Esse números refletem principalmente o crescimento de 23,8% no número de consumidores especiais. Já o volume de consumidores livres, por sua vez, avançou 10,2%.

Ainda de acordo com o relatório apresentado pela CCEE, apenas em setembro foram registrados 1.049 processos em andamento para adesão ao ACL, um aumento de 44% no comparativo anual.

Além disso, também vem crescendo o volume de agentes (consumidores, geradoras, distribuidoras, autoprodutoras e comercializadoras) no mercado livre. O mês de setembro fechou com 19.733 cargas com contratos no ACL, 31,2% acima do verificado em igual período de 2019.

Até esse último levantamento, só 2020, a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica ganhou 1.532 novos associados, sendo 1.257 consumidores especiais e 92 livres. Também foram registradas 52 novas comercializadoras e 124 produtoras independentes de energia. Seis autoprodutores e um gerador a título de serviço público estão nesta lista.

 

Relações comerciais no mercado de energia

 

As relações comerciais no atual modelo do mercado de energia acontecem em duas esferas: no Ambiente de Contratação Regulada (ACR) e no Ambiente de Contratação Livre (ACL).

A compra e venda de energia no ambiente regulado é formalizada por meio de contratos celebrados entre os geradores e os distribuidores, que participam dos leilões de compra e venda de energia.

Os contratos do ambiente regulado são aqueles mais “tradicionais”, que têm regulação específica para aspectos como preço da energia, submercado de registro do contrato e vigência de suprimento, não sendo possível alterações bilaterais pelos agentes.

Já no ambiente livre de energia, os geradores, comercializadores, importadores, exportadores e consumidores têm liberdade para negociar e estabelecer as modificações  em contratos. Tendo eles assim, total liberdade para definirem os volumes de compra e venda de energia, além de seus respectivos preços.

Tanto nos ambientes livre e regulado, todos os contratos são registrados na CCEE.

 

Afinal, que é uma comercializadora de energia?

 

Como vimos no início do artigo, a CCEE viabiliza a comercialização de energia elétrica no Brasil e divide seus agentes em três categorias. Uma delas é a comercializadora de energia, que é parte essencial para o funcionamento do mercado livre de energia elétrica.

As comercializadoras surgiram para solucionar problemas da contratação de energia elétrica, viabilizando assim mais eficiência nas transações entre vendedores e compradores.

No ambiente livre, as comercializadoras compram energia por meio de contratos bilaterais, podendo revender esta energia aos consumidores livres ou a outros comercializadores e distribuidores.

De acordo com a CCEE, são considerados agentes comercializadores de energia os importadores, exportadores e comercializadores de energia elétrica, além dos consumidores livres e dos consumidores especiais.

 

Como as comercializadoras atuam?

 

Concluindo nosso texto, assim como em qualquer mercado, existem conflitos de interesses entre vendedores e compradores. Tendo em vista que no mercado livre de energia isso não é diferente, cabe as comercializadoras atuarem como mediadoras reduzindo os chamados custos de transação. Desta forma, elas fazem o encontro eficiente entre geradores e consumidores, proporcionando as melhores condições para seus clientes.

Além disso, também trabalham com compra e venda de energia, representação e gestão de agentes produtores e consumidores livres de energia elétrica e gás natural, bem como na respectiva importação e exportação.

As comercializadoras viabilizam, com sua atividade, o preço de equilíbrio e dão racionalidade econômica a divisão de sobras e déficits de energia. Elas permitem o ajuste dos portfólios de compra e venda.

Elas também assumem o risco de crédito do consumidor e o risco de performance do produtor. Oferecem liquidez ao mercado, viabilizando a competição.

Desenvolvem produtos e associam serviços ao produto energia, em um mercado cada vez mais competitivo, inovador e com foco nas necessidades de seus clientes.

De forma semelhante a outros mercados de commodities, o mercado de comercialização de energia passa por um processo de modernização e sofisticação, importando e adaptando ferramentas já usadas em outros mercados, tais como opções, futuros, swaps, contratos a termo e outros.

Então, se você tiver mais dúvidas sobre as comercializadoras de energia e sobre o mercado livre, não hesite em entrar em contato conosco. Teremos prazer em conversar com você!

Acompanhe também várias notícias e conteúdos relacionados a esse mercado, siga a Ícone no LinkedIn.

 

Até a próxima!


Continue lendo

Saiba tudo sobre o
Mercado Livre de Energia
Assine nossa newsletter.